Mamiya C330 Professional | Mamiya

mamiya c330 - frente

– Mamiya C330 Professional | Mamiya | c1970 –

Reflex de objetiva dupla (TLR no inglês), lançada em 1969, foi uma grande melhora em relação à anterior Mamiya c33. Como existiram muito menos câmeras TLR do que monoreflexes (SLR), ou de visor e telêmetro (rangefinders no inglês), a Mamiya é frequentemente comparada com a glamurosa Rolleiflex. Eu acho que é só mesmo o conceito TLR que elas têm em comum. A Mamiya é muito menos elegante, é verdade, mas foi claramente desenhada para ser simples, confiável e versátil. Ela cumpre muito bem as três coisas. Nada é mais revelador da identidade autônoma da Mamiya em relação à Rolleiflex que o fato de que ela usa fole e cremalheira para o foco. Diz a lenda que Reinhold Heidecke tinha como ponto de partida, na concepção da Rolleiflex, exatamente uma câmera sem fole, por conta de uma experiência traumática com uma Kodak cujo fole se estragou.

A Mamiya C330 é uma boa câmera que oferece um negativo 6 x 6 cm com um conjunto de lentes intercambiáveis de boa qualidade. Eu comprei essa em 1987 para fazer alguns trabalhos profissionais, como muitos fotógrafos de orçamento acanhado fizeram. Para fotos de ação existe um visor prismático que você monta sobre o despolido e tem corrigida a inversão esquerda direita que é típica desse sistema além de uma imagem sem interferências da luz ambiente.

 

mamiya c330 - prisma, manopla, paralaxe

Para trabalhos em natureza morta (still life), há um corretor de paralax que você coloca no tripé, enquadra seu assunto com a lente do visor, mas para dar o clique, gira uma manivela que faz a câmera subir e a lente que faz a foto toma o lugar da lente do visor. Há também uma agulha que passa por baixo do visor e avisa qual é o topo de sua foto para que você esteja ciente da paralaxe. É claro que você perde a parte de baixo pelo mesmo tanto. O fole se extende muito e permite facilmente se fazer close-ups. É realmente um aparelho flexível que se presta a muitas condições e tipos de fotografia, se você não se importar com seu tamanho e peso que chega perto dos dois kilos.

Além da lente normal de 80 mm f2.8, existe uma gama que vai de 55 até 250 mm. Eu tenho, como extra, a 135 mm f4.5 e é uma ótima lente para retratos.

 

mamiya c330 - lente 135

Acredito que venderam muitas dessas no Brasil. Quando a comprei, já era uma câmera velha e naquele tempo as monoreflex de formato médio como as próprias Mamiyas 645 ou as Hasselblads eram o top da categoria. Mas penso que em seu tempo, década de 70, deve ter vendido bem, pois recebi, coisa rara, um manual original em português. Reproduzo abaixo duas de suas páginas explicando as partes e controles da câmera.

mamiya c330 - manual 1

mamiya c330 - manual 2

Algumas fotos feitas com ela

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.